Tecnologia a serviço do automobilismo

A cada dia, o automobilismo ganha mais com o avanço da tecnologia. A Telemetria, por exemplo, utilizada na Fórmula 1, Dragsters e outras corridas, fornece dados valiosíssimos e que podem fazer a diferença durante uma competição.

A palavra é de origem grega. Tele significa remoto e metron, medida. Portanto, medida remota ou o monitoramento de dados a distância. No caso das corridas, enquanto os carros estão acelerando nas pistas.

Antigamente era feita por um sistema de rádio. Hoje os sistemas são mais complexos e sofisticados. Desde telefones, redes de computadores e até mesmo fibra óptica são utilizados para realizar a transmissão das informações.

O dispositivo recebe e processa informações obtidas por sensores no controle de injeção de combustível, controle de ignição, controle de velocidade, controle de emissões e motor e monitoramento de falhas.

O aparelho também possui funções como acionamento de embreagem caso o  motor não possa funcionar, engate e desengate quando a borboleta é acionada, verificação de quantidade de combustível, temperatura do motor, balanço dos pedais, força gravitacional, variando de acordo com cada categoria das competições.

Outra curiosidade sobre a tecnologia é que, de acordo com cada pista, ocorrem modificações no mapeamento do motor. Por exemplo: em pistas de baixa velocidade, há um limite de aceleração em alguns pontos do trajeto, impedindo que as rodas girem em falso e dando um maior controle ao piloto. Já em pistas de alta velocidade, o motor é ajustado, trabalhando em plena aceleração, bastando que o piloto toque o pedal.

Um único carro chega a ter mais de um quilômetro de cabos (como acontece na Fórmula 1), conectados a sensores de controle para obtenção dessas informações.

Tags: Categoria: Automobilismo

Comentários Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *